Oxalá

oxalaOxalá

A Palavra Òsàlá  de origem árabe, mais precisamente de inshalla, com o signifcado de “se Deus quiser, se Deus o permitir”. Oxalá é o Orixá da paz, união e fraternidade entre os povos da terra e do cosmo. Coordenador e muitas vezes responsável pelos orixás e também considerado o fim pacífico da vida é o Orixá da compreensão da amizade, entendimento e do fim dos mal entendidos. Ele é o pai da brancura, por isso, e essa cor simboliza a paz, a transparência, embora na religião e cultos Afros Brasileiros tenha a ver também com a morte, pois é o Orixá que também determina o fim da vida. È o momento de desligamento espiritual do material. Embora nos seres humano não estejamos preparados para esse acontecimento natural na formação do universo.

Na religião começamos com Exú ou Bara, que representa o iniciou de tudo, a roda da vida, portanto se Oxalá termina ele é o Orixá do que comanda do fim da vida. Devemos encarar a ocorrência da morte como um fator natural como os demais assuntos que fazem parte da natureza, tudo tem um inicio e um fim. Entendemos que a regência desta força é determinada pela energia que é chamada de Oxalá. Ele é o principio do fim da vida.

Oxalá é que tem a responsabilidade do equilíbrio das coisas, para se manter suavemente estabilizada em posição de espera ou definição, dependendo do caso, estabelecendo um acordo com a situação. Sendo uma organização terminal de maneira mais pacífica possível.

No mito da criação associamos as diversas maneiras de apresentação de Oxalá que é o nome genérico de vários Òrìsàs (Orixás) funfun (Brancos), devido à cor que os simbolizam; Osala Obatalá, Osalufon, Osagiyan.

Mitologias;

Obatalá ou Òrìsànlá;

Obatalá é o filho de Olorum o criador do universo. Depois de criado o universo e a terra em específico; depois de milhares de anos resolveu dar vida a terra e enviou seu filho direto “Obatalá” para esse fim à terra que até então era composta de água.

Vindo com o saco da criação, Obatalá criou  os montes, vegetais, animais e por ultimo da própria criação “terra” com ajuda de Nanan moldou o ser humano com o barro e com seu sopro deu vida ao ser humano. Òrìsànlá ou Obàtálá é o grande “O Grande Òrìsà” como é conhecido na mitologia Yorubá na àfrica. É o mais velho dos Òrìsás, o rei de vestes brancas, raiz de todos os outros Òòsààlà. Ele é o pai de Osàlúfón que é pai de Osoguian. O grande e poderoso Obàtálá que não se manifesta,sua palavra transforma-se,imediatamente,em realidade.

 Osalufon

Oxalá é o responsável pelo Portal da vida e da morte, marido de Nanã, Senhor de uma fronteira de dimensão infinita. Por determinação da própria Nanã, somente os seres femininos tinham o acesso ao Portal, não permitindo a aproximação dela de seres do sexo masculino, sob hipótese alguma. Esta determinação servia para todos, inclusive para o próprio Oxalá.

Por um desentendimento com Nanã com referência ao Portal que ela mantinha e governava que era proibida a entrada de homem, e a desobediência do Oxalá forjando sua entrada, vestindo-se de mulher e Nanã descobrindo. Nanã determinou por ele ter conhecido a outra dimensão do Portal que compartilha se com ela os segredos tão importantes passando, a incumbência de ser o principio e o fim através de seu cajado.

Este o Oxalá passou a ser conhecido por, Osalufon não podendo se desfizer das vestes femininas e dessa data para frente só terá todas as oferendas como se fosse fêmea. Não podendo comer mais com os homens. “Aborós”, mas sim galinhas como as Iabás. Tornando-se o Senhor do principio da morte conhecendo todos os seus segredos.

Identificado também como oxalá velho, e se manifesta pelo odu ofun e ejiokô. Seu sombolo, é uma espécie de cajado em metal, chamado opaxorô

Oxaguian

Oxalá Oxaguian, foi rei de Ejigbô, gostava de guerrear e Vivia sempre lutando, assim como gostava de se alimentar bem sempre com uma mesa farta, com caracóis, canjica, pombos brancos, mas a sua preferência era inhame amassado. Foi o rei de Ejigbô que inventou o pilão ficando mais fácil para macerar o inhame.

Ele era conhecido por muitos nomes assim como; Elemosó, Ajagunã, Aguinjolê e Osagiyan. É filho de Oguiriniã. “Osalufon”.

O rei ficou famoso por seu apetite pelo inhame que todos agora o chamam de “Orixá Comedor de Inhame Pilado”, o mesmo que Oxaguian na língua Yorubá. Ele também é chamado de Oxalá moço e se identifica no jogo de merindilogun pelo odu ejionile. Os seus  símbolos são uma idá (espada), e escudo e “mão de pilão”

Ouromilai

É a divindade mais importante na cosmologia Yorubá, o primeiro profeta do Ifà, quem abriu caminho para os humanos, é conhecido como o Orixá da sabedoria, que ensinou as outras divindades a interpretarem as mensagens de Olorum através de Ifá. Também conhecido como “a” Testemunha da Criação, o Orisá da sabedoria, (Eleri Ipin) em Yorubá. Esú foi o primeiro discípulo que Ouromilai teve na terra seu companheiro constante enquanto esteve na terra, é conhecido como “Mensageiro Divino” responsável por traze e levar nossas oferendas ao céu.

Os sacerdotes de Ifá são chamados Babalawo (o pai dos segredos).

Oxalá é o fim. Claro que não o fim trágico, mas pacífico, de tudo que existe no universo. E merecedor de todo nosso carinho. É o nosso salvador, conselheiro, aquele que nos acolhe em momentos de angustia trazendo o que esse mundo mais precisa demasiadamente: Muita Paz.

Oxalá pai de todos, é o orixá mais poderoso na Nação, por ser responsável pela paz tanto humana como espiritual, criador do universo,quando moço valente guerreiro,quando velho conselheiro espiritual e dono do jogo de búzios.

Bocum; adjunto com Oxum Pandá;

Olocum; adjunto com Oxum Pandá;

Dacum; adjunto com Iemanjá Boci;

Jabocum; adjunto com Oxum Docô ou Iemanjá Bocí.

Orumiláia; adjunto com Oxum Docô ou Iemanjá Bomi

 

Animais; quatro pés; cabrita branca para todos com exceção de Orumiláia branca com pequenas manchas preta.

Aves; meio quatro pés; pata branca e galinhas brancas. Orumiláia galinhas pretas.

Número; oito (08) e seus múltiplos

Cor; branca e Orumiláia amarela e Preta no Oyó.

Dia; quarta-feira para Oxalá Bocum e domingo para os demais

Oxalá. Guias: branca para todos e para Orumiláia preto com amarelo.

Saudação; Èpaô Bàbá!

Oferendas: canjica branca, mel, meregue e limão oxala1

Ferramenta; caramujo, cajado, pomba branca, sol, búzios e moedas para todos. Orumiláia mais os olhos.

Ervas: Tapete de Oxalá (boldo), alfavaca, sândalo, alfazema, capim limão, girassol, maracujá, jasmim limoeiro, rosas brancas e outras.

Orumiláia; abóbora, algodoeiro, guiné, limão, noz de cola, orobo, erva de São João e outras.

Frutas; Uva branca, pêra, bergamota, mamão, côco, limão, côco com casca e fruta pão (e outras espécies da natureza).

Sincretismo; Jesus Cristo

oxala2 Oxalá bebe- Artista plástica Claudia